A que distância está o sol?

A que distância está o sol?

— Um barco à vela… montanhas… um castelo — diz Ana, a pintar e a falar consigo mesma. A mãe está no sofá a tricotar uma camisola de malha. O desenho de Ana e a camisola são prendas de anos para o pai.

Ana desenha no céu um sol com a cara risonha.

“O sol não tem cara”, pensa Ana.

Olha pelas janelas. Hoje o sol é um disco pálido por detrás de um véu de nevoeiro.

— O sol não é um vidro mas uma bola — diz a mãe. — O sol é uma estrela fixa. Os planetas movimentam-se à volta dele, e a terra também.

— A que distância está o sol? — pergunta Ana.

— A milhões de quilómetros — responde a mãe a rir-se.

Ana queria saber exactamente. Numa estante da sala está uma fileira de livros grossos. Por fora está escrita uma palavra que Ana consegue decifrar sozinha: Enciclopédia. A mãe tira um dos volumes e folheia-o.

— Cento e quarenta e nove milhões e quatrocentos e oitenta mil quilómetros — diz e escreve o número numa folha de papel: 149480000. — O sol é uma enorme bola de fogo em brasa.

Ana tenta imaginar essa bola. Há muitas coisas que são diferentes da forma como as vemos com os olhos.

Ana olha para o seu sol e pinta-lhe uns raios em volta da cara risonha.

Traduzido e adaptado

Max Bolliger

30 Geschichten zum Verschenken

Lahr, Verlag Ernst Kaufmann, 1991

Advertisements