A gata junto à lareira

gato lareira 1 m

Fecha os olhos e imagina uma gata. É uma grande gata. Como pensas que ela se sente? Vamos ver se descobres! Pega na tua lanterna mágica e segue pelo Caminho Encantado. Onde irá levar-te esta noite?

Ao fundo de um corredor comprido fica uma sala acolhedora numa antiga casa de madeira. Há lenha a crepitar numa grande lareira de pedra mesmo em frente. É uma linda lareira, com chamas laranja e azuis à superfície e brasas vermelhas a brilhar na parte de baixo. Faíscas que se parecem com pequenas estrelas flutuam chaminé acima. Sentes o doce cheiro de madeira a arder.

Há uma poltrona funda junto à lareira. Parece tão confortável que tens de te enroscar. Quando te instalas, ouves um forte ronronar vindo de outra poltrona, do outro lado da lareira. Vem de uma gata às riscas laranja e castanhas. Pensas que a gata se deve sentir muito sozinha e aborrecida ali sentada sem ninguém.

— Não, não — diz uma voz suave e rouca, e apercebes-te de que a grande gata às riscas está a falar contigo. Parece saber aquilo em que estás a pensar.

— Gosto de brincar com os outros gatos mas, às vezes, gosto de estar sozinha, para observar o lume. O que vês aqui?

Como não respondes, ela acrescenta pensativamente:

— Às vezes eu vejo ratos gordos e suculentos que fogem ao atravessarem o tapete. E outras vezes é uma mesa da cozinha com um grande monte de carne, queijo e peixe.

Olhas agora intensamente para o lume, para ver o que podes encontrar.

Então, entre as chamas vermelhas e azuis tremeluzentes, vês um lindo veleiro numa tempestade a ser levado por ondas muito altas que viram e reviram. Mas agora a lenha desliza e para e, em vez do mar, vês uma cidade fabulosa com telhados em flecha dourados e prédios de pedra esculpida. Pequenos pássaros voam entre os parapeitos das janelas e descem até às fontes reluzentes lá em baixo.

— Vejo mares e cidades — dizes à gata.

— Continua a olhar — diz ela. — O que mais vês?

À medida que a lenha queima, o fogo brilha cada vez mais intensamente.

Agora vês criaturas fantásticas e cavernas, florestas e lagos e montanhas altas com neve.

— Vejo todas as coisas maravilhosas do mundo no fogo — dizes. — E no meio, onde ele brilha como um coração, há tanta tranquilidade como nesta sala.

— Ah! — ronrona a gata.

E já não tens a certeza se ela ainda está a falar — ou só a ronronar.

O fogo volta a mudar. Uma grande quantidade de estrelas cintilantes sobe pela chaminé. O que vês agora?

O teu lugar favorito à beira-mar?

Uma festa? Um quarto cheio de brinquedos?

És tu quem decide.

 

P.S.

    • É importante teres um lugar especial onde podes pensar e ter sossego.
    • Não tens de te sentir só por estares sozinho. Podes aproveitar o tempo para explorar a tua imaginação. Quanto mais a usares, maior e melhor ela se tornará.
    • Se alguma vez te sentires aborrecido(a), lembra-te de ler um bom livro.

 

Anne Civardi, Joyce Dunbar, Kate Pety, Louisa Somerville
Dorme Bem
Lisboa, Editorial Estampa, 2008
(Adaptação)

Anúncios