De graça

graca-m

O nosso filho foi ter com a mãe e entregou-lhe um papel. Depois da mãe enxugar as mãos , leu-o:

Por cortar a relva                                                  5,00 €

Por limpar o quarto esta semana                    1,00 €

Por ir fazer um recado à loja                             0,50 €

Por tomar conta do meu irmão                        0,25 €

Por ir pôr o lixo lá fora                                        1,00 €

Por trazer boas notas                                           5,00 €

Por limpar e varrer o quintal                            2,00 €

Total em dívida:                                                   14,75 €

A mãe ergueu o olhar e ele ficou ali, à espera. Ela pegou no papel, voltou-o e escreveu:

Nove meses em que te transportei enquanto estavas dentro de mim:                                      de graça.

O tempo em que estive sentada a teu lado a tratar-te, e em que rezei por ti:                         de graça.

Todas as lágrimas que me fizeste chorar ao longo dos anos:                                                        de graça.

Todas as noites povoadas de medo e preocupações que sei que me esperavam:                     de graça.

Por brinquedos, comida, roupa, e até por te assoar:                                                     de graça, meu filho.

E depois de somar tudo, o amor verdadeiro é…                                                                                  de graça!

Quando o nosso filho leu o que a mãe escreveu, ficou pensativo.

Olhou então de frente para a mãe e disse: “Mãe, gosto muito de ti.”

Depois, pegou na caneta e em grandes letras escreveu: “CONTA SALDADA.”

M. Adams 

   Canja de galinha para a alma
Mem Martins, Lyon Edições, 2002
 (adaptação)